Looks de agosto: Época de ativar a “memória vestuária”

Queria poder dizer que tenho andado distraída, impaciente, indecisa, mas agosto foi mesmo o mês dos pingos nos is e de muito tempo demandado para isso. As respostas para as perguntas que às vezes nem fizemos ainda surgem quando menos esperamos, observem. E quando não se tem tempo para esperá-las, aí é que nos damos conta da sua presença. Os looks de agosto foram meio assim.

A começar que, diferentemente dos outros meses, as próprias fotos postadas aqui representam a correria que têm sido os últimos dias. Continua que essa mesma correria não me deixou pensar em looks muito elaborados, misturas inusitadas, buscas incomuns para o que já tenho no armário. Muito pelo contrário. Minha “memória vestuária” (se é que isso existe) de looks passados foi muito acionada nesse período. Na falta de tempo para bolar combinações, apostei naquelas que dão certo.

Tipo a pantacourt preta com uma T-shirt podrinha e a botinha da Melissa; ou meu mocassim branco com a MOM’s Jeans e uma blusa listrada de gola alta. Talvez a inovação – pasmem – tenha sido usar uma sandália rasteirinha de plástico com a calça skinny de barra dobrada e uma T-shirt, bem-bem-bem informal mesmo.

E é com muita sinceridade que eu digo aqui: não há problema nenhum em passar por momentos como esse, de zero criatividade para o look do dia. Por sorte (ou puro investimento mesmo), a camisa de estampa abstrata que comprei na Renner compensa todo o marasmo visual do mês. É por ela que começo o #LooksDeAgosto. Vamos ver?!

Essa blusa eu vi por acidente, me apaixonei à primeira vista, experimentei o único tamanho disponível só por desencargo de consciência e tudo culminou para que eu a trouxesse comigo. Nesse dia, combinei com a MOM’s Jeans de sempre e o tênis branco que você verá mais adiante. Uma das roupas mais confortáveis que já usei, exceto pela preocupação que tenho em não mostrar demais com os botões das camisas. (Foto: Moça Criada)
Numa tentativa quase frustrada de espantar a cara de sono, o batom escuro foi a única alternativa. O vestido foi a escolha em um período de marasmo visual. Mas compôs uma proposta confortável, como eu gosto. É isso que importa. (Foto: Moça Criada)
Esse look foi o escolhido para um dos passeios mais legais que consegui fazer no pouco de férias que me restou no intervalo entre semestres. Shortinho, blusinha e sandalinha, no melhor estilo “vem, verão!”. A quantidade de pele exposta foi proposital, afinal, fazia tanto tempo que eu não tomava um sol… (Foto: Moça Criada)
Um look “preciso resolver problemas, mas estou de férias”. O truque da vez (quando eu ainda conseguia pensar em um) foi colocar o cinto por cima do passador da calça. Curiosamente, apertou muito mais. A paleta de cores (camel, mas com aparência coral por causa do efeito na imagem) me agrada. A barra da calça dobrada é um vício. (Foto: Moça Criada)
Aquela roupa preferida pra ir ali e voltar. Básico dos básicos, não tem como errar com uma T-shirt e shorts jeans. O tênis branco deixa a proposta mais casual, assim como a jaqueta com padronagem militar. Ótimo para quando precisamos sair de casa depois de um dia cansativo. (Foto: Moça Criada)
Tênis, calça skinny com barra dobrada e T-shirt formam o combo infalível para os dias de pressa ou falta de criatividade. É uma junção de conforto, estilo e adequação que poucas peças conseguem fazer. (Foto: Moça Criada)
Mulherão. Foi assim que me senti com essa calça skinny mega justa de cintura alta, cropped e salto tratorado. E é um visual bem descomplicado, né? Note como você consegue looks impactantes, dependendo das peças que possua em casa. Por isso é bom investir em roupas boas e bonitas, que geralmente vêm num valor mais caro. Mas claro que encontramos muita coisa boa e barata por aí! Esse cropped, por exemplo, não chegou a custar R$ 40. (Foto: Moça Criada)
Básico, básico, básico. Tênis, calça e T-shirt. Mais um look normal, não fosse o lenço no pescoço. A ousadia do dia pra dizer adeus ao semestre 2018.1 no mestrado. Aprovada?! (Foto: Moça Criada)
Um close pra mostrar o lenço com mais detalhes. (Foto: Moça Criada)
Essa blusa de todo mês ataca novamente pra reforçar que segue valendo repetir roupa, viu. Repita muito. Repita sempre. E sorria tanto quanto. Beijo!

Looks de julho: Que peças do armário você já misturou?

Não sei como era na sua casa, mas minha mãe me condicionou a separar as roupas de ficar em casa, as roupas de domingo e as roupas de sair. Durante algum tempo depois de ter saído da casa dela eu ainda fiquei com essa separação na cabeça e tentava classificar minhas peças nas caixinhas do “ficar em casa”, “ir  à faculdade”, “sair de dia” e “sair à noite”. Também não deu muito certo, porque eu me via com menos roupa do que eu tinha e, por outro lado, perdia todo o potencial que aquelas roupas poderiam ter em diferentes contextos.

Então foi super fácil reprogramar a lógica do meu sistema pessoal de vestuário. Em teoria, pelo menos. Na prática ainda fico com aquele ranço de “ai, mas eu usei esse vestido pra almoçar num domingo, como poderei usá-lo num ambiente mais arrumado à noite?”. Noias que criamos sem razão aparente, apenas como fruto de um pensamento que foi moldado por tanto tempo. Não quero aqui responsabilizar minha mãe, afinal, os tempos eram outros e ela certamente foi criada sob a mesma dinâmica porque, aliás, os tempos na época dela eram mais outros ainda.

Fato é que hoje as coisas estão melhores, nossa consciência se expandiu e estamos num movimento de utilização ao máximo das roupas que temos no armário. O primeiro passo pra desconstruir aquela lógica destruidora do potencial de nossos armários é mesmo pegar uma peça de cada caixinha e usá-la em momentos completamente diferentes do pressuposto. Pode dar certo. Eu experimentei isso nos looks de julho. A experiência psicológica foi meio doida, mas na prática, ó… O resultado segue abaixo!

Preciso ser honesta pra dizer que eu já havia usado essa combinação há algum tempo. Mas foi num contexto de encontrinho com os amigos, depois de assistir à defesa do TCC de uma amiga. Mas repeti a dose pra ir à aula e revelar uma curiosidade: essa calça pantacourt é meu pau pra toda obra – de eu já ter ido da praia a uma cerimônia de formatura com ela. A blusa eu só havia usado em contexto de lazer mesmo, porque ela é mais curtinha. O sapato já é velho conhecido. (Foto: Moça Criada)
A vida tem a cor que a gente pinta mesmo. Nesse dia de inverno eu decidi pintar a minha de laranja e jogar um denim por cima pra reforçar a cor. Também para ir à aula, montei um look mais despojado com o tênis e o colete. O vestido foi mero detalhe, já que, com toda sua versatilidade, ele vai do casual ao arrumado. A tiara-turbante da Pittaco na Moda também foi outra novidade para circunstâncias mais “sérias”, já que eu o utilizava geralmente para situações de lazer. (Foto: Moça Criada)
A Copa acabou, o hexa não veio, mas a ousadia de misturar as peças das “caixinhas” existiu. Essa saia estava na gaveta das peças de sair, afinal, ela tem um tecido mais encorpadinho, é mais girlie, tem tudo a ver com uma composição mais arrumada. Neste dia de jogo do Brasil, eu a tirei desse contexto para levá-la ao bar, ali na praça perto de casa, acompanhada de um chinelo. E foi tudo bem! Exceto pela eliminação na Copa, mas isso aí a gente já superou – ou quase. (Foto: Moça Criada)
Essa foi a misturinha mais legal pra mim. Veem a calça? É aquela pantacourt preta, que eu troquei o cinto pra deixá-la mais pesada. O mix de peças tá no detalhe: o cropped do verão + a jaqueta de padronagem militar do inverno. A foto não mostra, mas eu estava de chinelos também. Mas o truque, truque mesmo, de styling foi a bolsa pendurada por dentro da jaqueta. O que acha? (Foto: Moça Criada)
Mais uma aparição dessa calça, dessa vez numa composição mais séria que ganha ar esportivo na foto por causa do tênis de academia que eu esqueci de colocar mais pro ladinho! hehehe Mas esse visual contempla aquela crise que eu tenho sentido – e falei no mês passado – sobre as roupas do meu armário. Aquela coisa de ter peças mais clássicas, mas sem perder o estilo, lembram? E eu gostei muito de vestir essas roupas. Note que o cinto mais fino na calça pantacourt deu outra impressão à peça. (Foto: Moça Criada)
Essa composição foi pura ousadia. Para além de trazer ao ambiente mais sério (digo, de aulas) essa blusa específica para momentos de lazer, ela é uma bata. Isso mesmo, com volume, folgadinha. E deu pra colocá-la por dentro da calça MOM’s Jeans, o que foi super uma vitória do povo da moda! Vê que se esforçar um pouquinho dá pra incluir outros usos pra roupa que você tem em casa? (Foto: Moça Criada)
Eu deveria ter começado esse post dizendo que todas as misturas de peças que fiz em julho levavam as roupas de lazer para as aulas, né? Porque é o que aconteceu aqui também, quando peguei a T-shirt da Looney Tunes – que já apareceu aqui no blog num look mais diurno – e combinei à calça MOM’s e ao mocassim branco. Acredito que o sapato foi o responsável por incluí-la sem ressalvas no look mais arrumadinho. O batom escuro também contribuiu, precisamos reconhecer. Que tal? (Foto: Moça Criada)
Mas meu look preferido do mês foi esse daí, escolhido para o dia em que escolhi ser jovem e sair num sábado à noite. É também o look mais simples de todos, que traz o inverso da mistura que já vimos aqui: foi a calça, usada no ambiente mais “sério”, que foi adaptada ao lazer. Usar um cinto chamativo, dobrar a barra e deixar mais pele dos pés à mostra com a rasteirinha foram estratégias que a deixaram até mais leve, diga se não?! O body foi a estrela do look, acredito, mas a concorrência foi pesada com o ruivo do meu cabelo, retocado por Valéria Vigné. Tem mais fotos dessa cor no meu Instagram @tetemarques_. (Foto: Moça Criada)

Não esqueçam de seguir o perfil do blog no Instagram, @mocacriada! Voltamos com tudo com as atualizações por lá!

Looks de abril: Que tal revisitar seu armário e descobrir novos looks?

Os looks de abril foram pensados sob uma nova perspectiva de vida. Comecei o mês saindo do trabalho na redação para focar no mestrado. Confesso que uma das minhas inseguranças foi ficar mais desleixada, me preocupar menos com as roupas que vestiria para ir às aulas, assim como eu era durante a graduação. Tenho me esforçado para não cair nessa cilada e, se eu mantiver o hábito desse mês, acho que dou conta do recado. Ah! Uma coisa mega importante: revisite seus armários, procure peças diferentes, misture-as, descubra uma infinidade de propostas escondidas nas mesmas roupas que você usa todo dia do mesmo jeito. Tipo como eu fiz com meu vestido laranja velho de guerra. Vamos ver?!

Bem menininha num dos meus últimos dias de trabalho na redação. Desenterrei essa camisa xadrez do armário sem precisar passar pelo imaginário junino. Tudo isso por causa de duas coisas: a paleta de cores do look e o complemento ao vestido. O tênis deixou a proposta mais esportiva também. (Foto: Moça Criada)
No intervalo de uma semana repeti o vestido, desta vez com uma pegada completamente diferente. A botinha mais pesada, embora de plástico, e a jaqueta com padronagem militar compuseram bem uma proposta mais invernal. Dá pra usar cores vivas nas estações mais frias, sim. É só combinar aos itens certos! (Foto: Moça Criada)
Os dias frios começaram a chegar aqui no Reino do Dendê e eu trouxe de volta minha jaqueta bomber da baixa estação passada. O colorido da peça tirou a monotonia do cinza e do jeans. A MOM’s jeans segue firme nos looks descontraídos, sérios e básicos. O lenço na cabeça deu um charme pro look. (Foto: Moça Criada)
Aqui a proposta já foi mais retrô, com uma camisa branca -cof cof- mais afastada do corpo e o tênis runner. Me senti como minha mãe nas fotos dos anos 1990 que ela tem guardada em casa, mas igualmente confortável. A moda tem dessas de nos deixar brincar com algumas informações, né?! (Foto: Moça Criada)
Encerro aqui os looks do mês com a MOM’s jeans pra mostrar que ela é versátil mesmo. Essa composição foi pra encerrar a semana de compromissos: chinelo, colete branco por cima de uma regatinha da mesma cor, cinto combinando com detalhe do chinelo. Nada como um dia mais firme nessa temporada chuvosa na capital. (Foto: Moça Criada)
Esse pra mim foi o look mais ousado do mês. Não só por usar um short pra ir à aula, mas também porque tomei emprestada a parka do meu pai. Às vezes é bom fazer uma visitinha no armário do coroa ou do boy, principalmente porque o shape oversized segue firme nessa temporada de outono-inverno. Sobre o short, busquei o equilíbrio do comprimento com a parka mesmo. Achei ok, mas não sei se usaria de novo pra aula. Quem sabe numa ocasião de lazer… (Foto: Moça Criada)
A calça clochard é um dos modismos dessa temporada, e eu já vi versões em bermudinhas e shorts, também, de tecidos diferentes. Combinei com esse colete, também velho de guerra, e uma blusa de veludo para um evento social no qual fui representando meu pai. Na maquiagem, como sempre olho nada, mas boca super tudo. (Foto: Moça Criada)
Esse é meu segundo look preferido do mês, totalmente Pinterest Inspired. Meu sonho de princesa vestir calça de alfaiataria com Tshirt, embora esse modelo de calça não dê o caimento que eu quero – com a cintura alta. O tênis runner ajuda a quebrar a formalidade da alfaiataria e naturaliza o look despojado com peças de qualidade. (Foto: Moça Criada)
Quem vê essa plenitude nem imagina quão louco foi esse dia. Mas nota como o look tá igual àquele lá de cima, com a jaqueta bomber, mas mais basiquinho?! Aposto que se eu não sinalizasse, talvez você nem percebesse que a camisa é a mesma. Vê mais uma vantagem de vestir terceira peça? Ah! Já bebeu água hoje?(Foto: Moça Criada)
Termino o post de hoje com esse vestido xodó, amorzinho, que comprei há uns cinco anos, mas segue atual por causa de algumas referências. Uma delas é a transparência. Outra, o floral. E é mega outono-inverno por causa da paleta de cores escura. O truque da sandália fina na cor da minha pele alonga a silhueta e ainda dá a impressão de que estou flutuando – bem anja mesmo. haha! (Foto: Moça Criada)