Comportamento

Papo de Moça: Quando você vê a mudança em si mesma

Escrevo esse post embalada pelo sertanejo bacaninha de Wesley Safadão com Matheus e Kauan, para o DVD ‘Em Casa’, do Safagod. “A culpa é sua se eu to aqui jogado no meio da rua…” (Meu Coração Deu PT)

Quem me vê assumindo esse gosto musical assim, pra todo mundo, sequer imagina que há um ano eu não tinha coragem de bancar muito do que sou e sempre fui. Sabe quando a gente se deixa levar pelas expectativas dos outros e vive só para correspondê-las? Aí a gente vai deixando de ser o que é, de viver o que se quer, de fazer o que se gosta… Doído, viu?! Mas ainda bem que a gente põe a cabeça no lugar em algum momento e percebe que na escala de prioridades, antes de todos os outros deve vir você mesma.

img_7797

A minha reorganização aconteceu faz nem um ano. Depois de Deus e da espiritualidade, vem eu. E aí, sim, eu de novo. Depois eu mais uma vez, e até depois do top 5, adivinha: eu de novo. Antes eu era aquele serumaninho que se importava com o que os boys iam pensar, com o que os migos iam comentar, com o que os desconhecidos iam concluir. Bobagem, né?

img_7815

“O que iam pensar de mim por gostar de Wesley Safadão, saber as músicas sertanejas do momento e me acabar quando tocam o pagodão, cumpadi?” Eu pensava, tolinha, escondendo minha veia festeira-do-momento que eu gosto de manter,  embora eu não seja rueira. Alô, alô lua em Gêmeos!

“Que mané ceder às tendências do momento, uai. Pra que eu vou me importar em passar hoooras no shopping escolhendo roupas legais?”, falava pra si mesma aquela que todo sábado assistia e ainda assiste Esquadrão na Moda.

img_7816

Bastou deixar o alisante de lado pra todas essas besteirinhas tomarem um rumo bem longe de mim. Engraçado isso de empoderamento, né? E como cortar o cabelo tem um significado imenso pra gente que, desde cedo, se vê na obrigação de lidar com as expectativas dos outros. Faz nove meses que assumi meus cachinhos e, por influência disso, outras características minhas. Gosto de ter estilo, gosto de acompanhar o que está na moda, adoro batons coloridos, me divirto quando ouso em algumas combinações, descobri a delícia de me preocupar com pele, cabelo e acessórios. E, adivinha só, ninguém tem nada a ver com isso. #beijonoombro

img_7823

Com esse empoderamento, o que veio em seguida foi consequência: um pouco mais de maturidade nas escolhas, respeito às minhas vontades, compreensão das minhas limitações e a busca por superá-las. É gostoso olhar pra trás e me perguntar: “Ué, quem é aquela que viveu por aqui nos últimos 20 anos?”. Difícil é segurar essa postura na vida todos os dias, verdade, mas uma olhada rápida no espelho já é um bom argumento para não desistir.

img_7804

E quem me viu que me veja agora, toda modelete, esbanjando esse sorriso que custa pra sair desse rostinho de Moça Criada. Se encontrem, se descubram e desafiem o mundo inteiro a isso também, mores! Vai ser a maior diversão ganhar cada batalha! 😀 <3

img_7827

Cliques de Milena Marques Fotografia, sob direção de Cláudia Cardozo, da Buenas Imagens. A moça veste Renner e calça Beira Rio. O brinco é Pittaco na Moda e a choker, Renner. A pulseirinha é do Senhor do Bonfim e o vício é no celular mesmo. hihi

Curiosa, jornalista e libriana. Mestranda no PósCom/Ufba, interessada nos valores - os meus, os seus, os de notícia e os humanos. Se piscar o olho, o cochilo vem, mas os olhos sempre estão abertos para uma série ou outra que desperte o interesse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *