Os cuidados que você precisa ter com a pele no outono-inverno

Os cuidados que você precisa ter com a pele no outono-inverno

Esfriou um pouquinho, né?

Talvez não tanto quanto gostaríamos depois do último verão que vivemos. Mas, sem dúvidas, a chegada do outono-inverno já é suficiente pra gente mudar a temperatura do chuveiro e passar um tempinho a mais debaixo da água quente. Aquele casaco favorito é o que faltava para fechar a relação mais aconchegante de todas.

Mas atenção para uma informação de seu interesse: todo esse contexto interfere na sua pele.

O motivo é simples, de acordo com dermatologistas com quem conversamos. Nossa pele é formada por uma camada lipídica protetora, o manto hidrolipídico, que funciona como um hidratante produzido pelo próprio corpo e fica na superfície cutânea.

O excesso de sabonetes e buchas no banho com a água morna ajuda a piorar o quadro. É uma situação que se agrava, uma vez que a pele fica naturalmente ressacada no período de outono-inverno por suarmos menos.

“Tanto a pele do rosto quanto a do corpo estão sujeitas ao ressecamento no inverno. O clima frio e seco pode deixá-las com aspecto esbranquiçado e até descamando. Para evitar tais sintomas é importante fazer hidratações corporais mais profundas e, além disso, investir em uma alimentação saudável, rica em vitaminas e antioxidantes, o que pode trazer benefícios em longo prazo”, destaca a presidente da Sociedade Baiana de Dermatologia, Taís Marcelino Ribeiro Valverde.

Que doenças de pele podem surgir?

O ressecamento pode potencializar o surgimento de doenças de pele, como a dermatite atópica. O principal sintoma é a coceira, que pode começar antes mesmo de aparecerem lesões cutâneas no rosto, no tronco e nos membros.

De acordo com Taís Valverde, as lesões são avermelhadas e descamam quando se manifestam na infância. Já na fase adulta, elas aparecem geralmente nas áreas de dobras da pele, como a região atrás dos joelhos, no pescoço e dobras dos braços.

A dermatologista Marina Horne compara a dermatite atópica à rinite.

“Está associada à rinite e à asma, a tríade da atopia. Não necessariamente o paciente tem as três, mas quem tem um, tem o risco aumentado de ter outra; quem tem dois, tem risco aumentado de ter a terceira. Isso são alterações na pele que já levam ao ressecamento, como se a pele da pessoa já fosse normalmente mais ressecada. Quando chega essa época, acaba, com banho quente e sabonetes, podendo piorar”, explica a especialista.

A dermatite seborreica também é comum nessa época, principalmente nas regiões do rosto e do couro cabeludo. Essa doença é uma descamação e irritação da pele decorrente da desregulação das glândulas sebáceas, responsáveis por lubrificar e impermeabilizar a pele e os pelos. Entre os sintomas da dermatite seborreica estão caspa, coceira intensa e vermelhidão da região.

A dermatologista Taís Valverde lembra ainda que a psoríase e a ictiose vulgar são doenças que também aparecem nessa época do ano. A psoríase, doença inflamatória caracterizada por lesões avermelhadas e descamativas, se manifesta predominantemente no couro cabeludo, joelhos e cotovelos.

A ictiose vulgar aparece no primeiro ano de nascimento do bebê. Entre os sintomas estão ressecamento da pele, descamação fina ou intensa de aspecto geométrico, geralmente nas pernas. A tendência é a ictiose regredir ou ter os sintomas minimizados ao longo do tempo.

Cuidados com a pele no outono-inverno
Foto: Noah Buscher/ Unsplash

Que cuidados ter com a pele?

Demos um spoiler sobre os cuidados com a pele no outono-inverno logo no início desse texto, mas o que você vai ver a partir daqui vale à pena. A dermatologista Marina Horne chama a atenção para a ingestão de alimentos saudáveis e ricos em água, como frutas e vegetais. Quanto mais industrializados e frituras, pior para a pele.

A ingestão de pelo menos 2 litros de água ao dia precisa ser um compromisso seguido à risca. E se você não abre mão da maquiagem, uma dica chave:

“A diminuição da produção natural de oleosidade do rosto, a exposição a ventos e o aumento de banhos com água quente são alguns dos grandes responsáveis pelo aspecto ressecado da pele do rosto. Para evitar o problema, é indispensável intensificar a rotina de hidratação da pele. Independentemente da pele ser oleosa, mista ou seca, é importante contar com a ajuda de produtos hidratantes específicos para o rosto, que vão devolver a água retirada da pele após as agressões do inverno. O produto deve ser aplicado um pouco antes da maquiagem”, explica a dermatologista Taís Valverde.

A hidratação do corpo deve acontecer logo após o banho, numa média de 2 a 3 minutos depois de sair do chuveiro. Nesse tempo, de acordo com Marina Horne, o corpo ainda consegue reter a água do banho.

Depois desse período, a água começa a evaporar e a pele, a ressecar.

Veja abaixo todas as recomendações das especialistas:

  • Beba no mínimo 2 litros de água por dia
  • Utilize sabonete menos abrasivo, tipo sabonete de bebê, de glicerina, para não eliminar as colônias de bactérias que naturalmente devem colonizar nossa pele
  • Evite tomar banhos demorados e com água muito quente; opte por um banho mais rápido e com água mais morninha
  • Evite também se ensaboar demais e usar buchas, que contribuem para alterar a composição do manto hidrolipídico (hidratante natural produzido pelo organismo) que protege a pele
  • Hidrate a pele logo depois do banho
  • Use hidratantes para os lábios, que também costumam ressecar no inverno
  • Evite coisas que desencadeiem a rinite, porque pode ser gatilho para quem tem dermatite atópica
  • Se tiver pele oleosa e acneica, evite hidratante comum no rosto; opte por um oil free nas áreas de maior oleosidade
  • Use diariamente o filtro solar – a radiação solar está presente mesmo em dias nublados e em temperaturas baixas

Os cabelos também precisam de cuidados no outono-inverno. Confira aqui as dicas do beauty artist Ricardo dos Anjos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *