Photo by Daria Shevtsova from Pexels

É só olhar ao redor para perceber: não podemos ser as mesmas em 2020

Nem chegamos à metade do mês de janeiro e quanta coisa já aconteceu. Os boletos levaram todo o salário de dezembro; os Estados Unidos atacaram um inimigo do Oriente Médio, que ameaçou reação à altura; o príncipe Harry desistiu da realeza e rompeu com a monarquia britânica para ser feliz; queimadas na Austrália consumiram mais de 8 milhões de hectares de terra.

Dez dias no ano e rupturas e mais rupturas. As coisas mudando de lugar. As certezas sendo questionadas constantemente.

É só olhar ao redor para perceber: a gente não pode mais ser as mesmas pessoas em 2020. O ano novo nos convoca a enfrentar a mudança. É um ato de coragem interromper padrões que nos aprisionam e nos impedem de sermos grandes. A gente está aqui mesmo para brilhar!

Certamente você já foi provocada a questionar alguma certeza. Se não tiver sido ainda, aposto que até o fim deste mês alguma coisa te despertará para admitir que algo precisa mudar. É preciso coragem para ouvir o conselho desse senhor que é o tempo. Urge a necessidade de irmos além do que já viemos até aqui.

Isso inclui encerrar um ciclo para que outro se inicie; assumir desafios que não te dão uma pontinha sequer de spoiler sobre o que está por vir; apurar a percepção que temos sobre nós mesmas, identificando fragilidades e nutrindo potencialidades. Ainda dá pra colocar na conta dessas mudanças começar uma atividade, desapegar de velhos hábitos, deixar pelo caminho quem já não cabe nos seus planos e permitir que nos deixem também aqueles que pensam que já não temos mais o que agregar.

É a mudança de postura.

Seremos cobrados por essa conta pelos próximos dias, semanas, meses. Num pequeno quanto num maior grau, em poucas como em muitas áreas de nossa vida. De forma amigável ou ainda dolorosa, que seja. Em algum momento isso vai acontecer.

E não precisa se assustar, nem mesmo temer quando esse dia chegar. Vai ser insano, mas no final de tudo você vai se orgulhar de si mesma por ter se permitido tanto. Independentemente do desfecho, tudo vira aprendizado.

Esteja disposta a aprender também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *