Camisa polo virou notícia: Tem dress code para reuniões via videotransmissão?

Camisa polo virou notícia: Tem dress code para reuniões via videotransmissão?

Muita coisa tem mudado nas relações profissionais desde a pandemia do novo coronavírus e as recomendações de distanciamento social. Até mesmo no Judiciário, a instância mais formal de todas, a liturgia tem sido posta em xeque por causa da doença.

No último dia 14, por exemplo, a 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal realizou sua primeira sessão por videoconferência. Mas o simbolismo deu seu lugar nas páginas do jornais para a quebra de um paradigma: o traje. O ministro Marco Aurélio trocou a toga, escolha dos demais colegas, por uma camisa polo branca.

Camisa polo virou notícia: Tem dress code para reuniões via videotransmissão?
Foto: Reprodução/ Twitter Jota

Houve quem considerasse um protesto do ministro, que era contra a sessão à distância. Houve quem achasse ser só uma escolha despretensiosa, já que nesses dias de isolamento o ministro passa seus dias de camisa polo, calça jeans e tênis. A consultora de imagem Mai Cardoso, que conhece bem o Judiciário, prefere não fazer muitas apostas.

“O que podemos notar é que houve uma ruptura no dress code da sessão, que requer traje formal e não comporta um look esporte fino, como é o caso da camisa polo”, observa.

Território do terno

Ao blog, Mai contou que o Judiciário é historicamente um ambiente formal e exige elementos do vestir que passem a ideia de seriedade. A especialista chama a área de “território do terno e da gravata“. Por ser um campo com ritos próprios, isso precisa ser observado também no ambiente virtual.

“Uma reunião pode até ter espaço para uma peça menos formal. Já uma sessão, não”, acrescenta.

De acordo com Mai, o ministro pode ter estampado os jornais porque a imagem chama a atenção de imediato em qualquer vídeo. E, nesse momento de pequenas e grandes decisões sendo tomadas por videoconferências, é preciso estarmos atentas para nossa própria imagem.

Qual o dress code, então?

A consultora de imagem Mai Cardoso traz um dado curioso: a comunicação não-verbal, aquela que diz respeito à nossa imagem e à forma como falamos, é responsável por 93% da nossa comunicação. Desse total, 55% está relacionado à nossa comunicação visual. Como nem todo mundo sabe disso, acaba falhando um pouco nesses tempos de pandemia e home office.

“Precisamos estar mais atentos, porque ninguém abre um vídeo querendo ver uma imagem inadequada”, observa.

Não que haja um dress code definido – além daquele para membros de Cortes do Judiciário -, mas há alguns elementos com os quais podemos nos atentar para os próximos calls. O primeiro deles, de acordo com Mai, é aquela “carinha de bem cuidada”.

“Demonstrar que você se preparou para falar com o seu interlocutor é importante e isso envolve a sua imagem. Não precisamos nos vestir como se estivéssemos exatamente no ambiente físico de trabalho, mas pensar que o virtual também é sobre o trabalho e que a imagem deve estar adequada na roupa, cabelo e pele”, acrescenta.

A consultora Mai Cardoso chama a atenção também para o cenário onde você vai se inserir para as videotransmissões. A gente sabe que isso marca, tanto que os jornalistas que aparecem ao vivo de casa nos telejornais são conhecidos por causa de suas exuberantes bibliotecas. Virou até meme!

“É importante observar o que aparece ao seu redor e no fundo da imagem quando você liga a câmera. Tudo conta”, reforça.


Você ainda se confunde um pouco sobre o que é traje esporte fino? Te mostro aqui como ele é, como usá-lo e até ousá-lo!

2 comentários sobre “Camisa polo virou notícia: Tem dress code para reuniões via videotransmissão?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *