Artigos Moda

Aprenda a usar tênis em diversas ocasiões, sem parecer informal demais

Já faz algum tempo que atribuímos ao salto alto a responsabilidade de dar o toque feminino ao nosso estilo. É algo tão presente no imaginário coletivo que a primeira coisa que meninas fazem quando querem demarcar a fronteira entre a infância e a juventude é calçar um par de saltos que melhor lhe caiba. A boa notícia é que a geração atual, das nascidas nos anos 2000, tem essa referência à feminilidade um pouco mais flexível.

“Você pode muito bem com 15, 16 anos usar um sapato baixo (sapatilha ou salto bloco) e apostar em outras ferramentas para potencializar sua feminilidade, como transparências, acessórios, cor de roupa, penteado, por aí vai. A coisa não precisa estar centrada no salto do sapato. Ela pode estar na mensagem do look como um todo”, indica a consultora de estilo Paula Leandro.

O status cool dado ao street style é um indício dessa flexibilidade. Primeiro, porque observamos traços da feminilidade em outros aspectos – atitude entre eles. Segundo, porque o tênis, mensageiro de uma proposta mais despojada e esportiva, ganhou lugar cativo em um mundo de propostas e composições. Paula Leandro observa que, embora ainda não sejamos tão liberadas assim para usar tênis em todos os lugares, já existe um consenso de que na maioria dos lugares podemos ir. Segundo a consultora, os compromissos estão mais informais.

O dress code do ambiente ainda é um fator na hora de decidir entre o salto ou o tênis, mas os compromissos estão mais informais e flexíveis. (Foto: Tiago Caldas/ Moça Criada)
A feminilidade não é representada apenas pelo salto. Transparência, acessórios, penteados e cores reforçam o feminino que existe dentro de você. (Foto: Tiago Caldas/ Moça Criada)

“Você precisa entender o seu estilo e o dress code de onde você está indo. Vejo gente de tênis em casamento, sapatênis e, dependendo até do estilo da menina, colocar um tênis mais colorido, um tênis de festa. Acho que dá, sim, pra você ir pra esses lugares, só que você precisa ainda equilibrar. Uma coisa é ir de tênis pra uma entrevista numa startup, que já é um ambiente mais informal, mais tecnológico, as pessoas têm um dress code mais livre. Outra coisa é você ir pra um compromisso no Itamaraty. Então, precisa equilibrar a mensagem que você passa, o público que você vai se relacionar”, pondera Paula.

E percebemos essa flexibilidade – ainda limitada – no nosso dia a dia. Da academia ao tapete vermelho, quem não lembra de alguma amiga substituindo a sapatilha pelo tênis no trabalho? Ou aderindo ao tênis para ir à balada?! O mood confortável pegou até entre as celebridades – o que só confirma aquela história de que está tudo bem descer do salto nas ocasiões mais chiques.

A tenista Serena Williams apostou em Nike Air amarelo para combinar com seu vestido Versace de mesma cor para MET Gala 2019. A apresentadora e atriz Maisa Silva também seguiu a proposta no evento de estreia de seu filme, ‘Cinderela Pop‘: o vestido em crepe estampado da Amaro foi combinado com o tênis #Power prata da Tweenie. O mesmo estilo foi seguido por Larissa Manoela, que apostou em um tênis Vans Old Skool com glitter para um evento social, desta vez combinado a uma camiseta branca estampada, com uma saia midi e um casaco incolor de plástico.

Pode pensar em incluir o tênis no seu look entrevista de trabalho/trabalho. Considere o ambiente e de que formas o calçado pode tornar o conjunto menos informal. (Foto: Tiago Caldas/ Moça Criada)
A consultora de estilo Paula Leandro dá o truque: quanto mais fina borracha do solado do tênis, e quanto mais clean ele for, maior é a chance de ele se adequar a diferentes ambientes – dos informais aos formais. (Foto: Tiago Caldas/ Moça Criada)

O segredo de estender o uso do tênis a ocasiões mais sérias é observar as características do produto. Paula chama a atenção para detalhes que fazem toda a diferença: quanto mais grossa a borracha do solado, mais esportivo é o calçado; quanto mais informação tiver, mais informal. “Quanto menos cor, quanto menos informação, mais formal ele é. Por isso que a gente acha o monocromático tão chique, porque ele é mais limpo, é mais clean, minimalista”, acrescenta. E o material ainda entra nessa lista de observações. O couro, por exemplo, é mais formal do que a lona estonada.

quem é Teté

Curiosa, jornalista e libriana. Mestranda no PósCom/Ufba, interessada nos valores - os meus, os seus, os de notícia e os humanos. Se piscar o olho, o cochilo vem, mas os olhos sempre estão abertos para uma série ou outra que desperte o interesse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *