7 lições da vida de Manu Gavassi que podem te ajudar

7 lições da vida de Manu Gavassi que podem te ajudar

Depois da edição histórica que foi o Big Brother Brasil 20, difícil não saber quem é Manu Gavassi. Difícil também não lembrar da aula de conteúdo para redes digitais que ela deu em suas redes sociais.

Virou case. Todo mundo comentou. E fez Manu Gavassi parar na Forbes.

No último dia 15, a cute but psycho participou de uma live com o jornalista Alexandre Mercki, nas redes sociais da revista. Foi um papo sobre a história de Manu, mas recheado de lições que a gente pode adaptar para nossa vida pessoal e profissional.

Separei meus quotes favoritos. Veja!


“Pra eu ser bem sucedida, tenho que escolher uma coisa e ser muito boa”

Quando ouvi isso na entrevista, me identifiquei muito. Não sei se as coisas mudaram na geração de agora, mas cresci acreditando que precisava ser uma coisa só e me especializar naquilo.

Ser jornalista, de uma única especialidade, e a melhor que eu puder ser no meu nicho. É o tipo de amarra que, conforme o tempo passa, a gente sente necessidade de soltar.

Manu contou que essa também foi uma frustração sua, até que passou a entender que não seria feliz se limitando. No final das contas, uma competência leva à outra; uma experiência leva à outra e permite que você atinja o tal sucesso.

“Comecei a ressignificar o que era sucesso nos últimos anos. Daí comecei a entender muito sobre meu potencial e sobre mim mesma”, contou.

“Se eu tô com muito medo, é porque no fundo eu meio que quero…”

Participar do BBB20 não estava nos planos de Manu Gavassi. A artista contou à Forbes que achava nada a ver com sua personalidade, até que percebeu que poderia ser uma excelente oportunidade para se mostrar pessoal e profissionalmente. E ela aproveitou.

Muitas vezes é só disso que a gente precisa. E o medo deixa a gente a ver navios. Aquele papo de “se der medo, vai com medo mesmo” pode ser um caminho a seguir.

E se o medo for só uma questão de autossabotagem? Se seu processo for tipo o de Manu, de ter de mascarar desejos pra não sair da zona de conforto?

A gente perde experiências incríveis por não se arriscar!

“Eu não sabia que ia dar certo, eu só precisava fazer”

Dar o primeiro passo. Ponto. Só vai. Não precisa necessariamente saber no que vai dar, até porque a gente não tem controle sobre isso. Mas a gente controla a velocidade da caminhada. E ela pre-ci-sa começar.

Manu Gavassi contou à Forbes que não tinha ideia do que seria depois dos 120 vídeos gravados para serem publicados durante sua participação no BBB20. E essa ação coordenada fez total diferença na forma como as pessoas passaram a vê-la.

Disso você tem dois riscos: as pessoas gostarem ou as pessoas não gostarem. O ponto em comum, no entanto, precisa ser um só: estar bem consigo mesma, independentemente do resultado.

“Mesmo que eu atinja um grupo limitado de pessoas, vai ser pessoas que realmente vão se identificar com isso”, disse Manu.

“Montei uma equipe e cada um cumpre sua função muito bem”

Não tem jeito: a gente precisa de um time composto por habilidades complementares. Pra montar a agência Cute But Psycho Agency, Manu precisou de sócios que tivessem skills que ela não tinha, como atendimento e design.

Já parou pra pensar em quais habilidades você precisa agregar pra fazer seu negócio avançar?

Ver essa foto no Instagram

👸🏻

Uma publicação compartilhada por Manu Gavassi (@manugavassi) em

“Tenho um monte de ideias, e não tenho coragem de executar”

Também me identifiquei super com esse momento da entrevista porque tá aí um medo que encaro desde sempre: ser grande. Não só na vida adulta, mas profissionalmente mesmo.

Ser referência, o prego que se destaca, é uma responsabilidade, né?!

Manu Gavassi contou que pesava também ter que lidar com as frustrações, com os comentários. Mas nada disso precisa limitar quem somos.

A gente precisa criar coragem pra romper o padrão da insegurança. Já falei que perdemos experiências incríveis por causa do medo…

“Quando comecei a me expressar em tudo o que acreditava, fui mais feliz”

Durante live com a Forbes, Manu Gavassi contou que foi difícil se encontrar enquanto artista, entender que poderia ser mais de uma coisa. Por muito tempo, ela insistia em ser só cantora, por exemplo, e isso a frustrava.

Desde quando começou a se soltar e percebeu tudo o que poderia fazer, as coisas começaram a fluir. Até mesmo na música: Manu contabilizou crescimento de 930% em sua página no Spotify.

“É uma prova de que quando eu comecei realmente a me expressar como artista em tudo o que eu acreditava, eu fui muito mais feliz, mais bem sucedida e mais bem compreendida”, contou.

Talvez o segredo seja esse mesmo. Quando estamos bem com o que fazemos, colocamos toda a energia e disposição naquilo, que faz todo o sentido em nossas vidas. A tendência é fluir. Se travar, não é pra ser.

“Propósito é muito relativo”

Uma das lições mais importantes e vale pra tudo na vida: sua história não é a mesma da outra pessoa, logo, seu propósito não é igual ao dela. Isso se aplica a escolhas pessoais, como também para profissionais.

Nada de copiar o outro. Faz o seu. Descobre o que te faz bem, o que faz sentido pra você.

Manu Gavassi contou à Forbes que essa chavinha virou na cabeça dela depois do álbum pop lançado em 2017. O material de divulgação teve todo o combo “plástico do que é pop”: álbum, clipe, fotos sensuais.

“Não importava eu ter a liberdade de escolher, eu estava escolhendo errado. Porque eu tava tentando me colocar numa categoria plástica do pop que faz sucesso que não tinha a ver com o que eu realmente acreditava. O propósito é muito relativo”, acrescentou Manu.

Já pensou em qual é o seu propósito?


Interessantes as dicas que Manu Gavassi trouxe, né? Então você também vai gostar das lições de business que Anitta nos ensina até hoje!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *