Artes,  Moda

4 décadas de moda em série: As produções que marcam época com seus figurinos

Não dá pra tirar de expressões artísticas o seu papel de memória do que aconteceu em determinada época. Pinturas, fotos, livros, filmes e séries têm um pouco dessa atribuição, uma vez que falam de situações que eram atuais para aquele tempo, vestem o que estava em voga e em conformidade com os valores do período, agem dentro do que era esperado.

Fizemos este exercício de revisitar quatro décadas, entre 1970 e 2000, a partir das produções seriadas que se referiam a cada época daquela para notar exatamente essas relações com a moda. O mais engraçado de tudo é que as séries recentes ambientadas em décadas passadas são mais caricatas, em termos de referências fashion, do que aquelas originalmente exibidas em sintonia com sua década de produção. Acompanhe comigo!

Década de 70

Essa década é curiosa, porque a primeira metade dialoga com as referências dos anos 1960 e a segunda metade tende para o que foi moda nos anos 1980. Então vamos por partes. Temos a repercussão do Swinging Sixties, cujo símbolo era a minissaia. Perde-se, portanto, a obrigatoriedade de marcar a cintura para chamar a atenção para as pernas. As mangas das camisas e vestidos tendiam para o boca de sino e o presunto (bufante); o geométrico e estampas psicodélicas marcam presença. O unissex que surgiu no fim da década de 60 ganha força: mulheres vestem calças, terninhos, calçam sapatos de bico quadrado inspirados no vestuário dos homens.

Do original ‘Bewitched’, ‘A Feiticeira’ foi transmitida de 1964 a 1972 pela ABC, estrelada por Elizabeth Montgomery. Na sitcom, a feiticeira tenta levar a vida de uma típica dona de casa da época ao se casar com um homem comum. O que se fala sobre a série, na época em que passou, é que questionava o papel da mulher na sociedade dos ano 1960, momento em que o feminismo ganhava força nos Estados Unidos. (Fotos: Reprodução/ Youtube)
‘Mad Men’, série de drama dos Estados Unidos, exibida pela AMC entre 2007 e 2015. Ambientada nos anos 1960, mostra a sociedade daquela época e as mudanças sociais que atravessaram com a transição da década. É bastante elogiada, entre outras coisas, pelo figurino e visual. (Fotos: Divulgação)

Na segunda metade, o visual andrógino aparece entre os hippies de Woodstock. Dali surgem as referências ao maxi-vestido, ao folk, como também ao glamour envolto em glitter, brilhos, graças à Era Disco. Destaque para calças boca de sino, collants, trajes esportivos e a cintura desestruturada. Boinas ganham as ruas. As calças cigarretes marcaram o revival kitsch dos anos 1950. É o auge dos tênis Adidas, Kicker e Converse. Aqui entram também: calças de cetim usadas com salto agulha, jeans reto, jaquetas de beisebol em cetim, blusas de frente única, suéteres, estampas da disney e camisetas justas.

Drama musical americano, criado por Baz Luhrmann e Setphen Adly Guirgis, ‘The Get Down’ tem como ambiência central o South Bronx, em Nova Iorque, e gira em torno da cena do rap dos anos 1970. Temos referências do hip hop e do Disco Music, punk rock e até mesmo da música Gospel. É nesta série também que vemos a referência ao grafite, manifestação artística da época. (Fotos: Divulgação)

Década de 80

O collant atravessou década e chegou aos anos 1980 graças à Era Disco, cuja estética valorizava o corpo, a exibição, o erotismo. Por vezes o item era usado com meias-calças e salto alto para a noite. O homem da década se vestia de forma elegante e discreta, mas com uma displicência proposital. É nesta década que uma variedade de estilos passa a coexistir: o bondage, marcado pela anarquia; o buffalo suit, que tinha como elemento-chave o andrógino inspirado no punk; o power-dressing, que simbolizava a autoridade feminina a partir da vestimenta. Neste último caso, as mulheres eram projetadas como pessoas de negócios, com ombros destacados e estruturados (alô, ombreiras!), roupas extravagantes, trajes glamourosos.

Sitcom americana transmitida pela NBC entre 1989 e 1998, ‘Seinfeld’ tinha como personagens centrais amigos de Jerry Seinfeld (criador da série, junto com Larry David). A produção foi considerada sucesso de críticas, entre outras coisas, porque trazia cenas do cotidiano, como idas ao cinema, jantares, dramas da vida real em geral. (Fotos: Divulgação/ Reprodução)
‘Glow’ é uma série norte-americana lançada pela Netflix em 2017. Ambientada nos anos 1980, conta o universo ficcional da luta profissional feminina, pegando carona com o movimento feminista que crescia na década anterior. Vemos temas como o aborto, a presença das mulheres no mercado de trabalho e a relação de fortalecimento entre elas – contrariando a lógica de que mulheres são rivais. (Fotos: Divulgação)

O decote canoa deixava os ombros à mostra, a saia lápis surgia como look do escritório, os cabelos do ambiente de trabalho eram alinhados. O grunge era o contraponto a tudo isso, e ecoou nas décadas seguintes.

Série de ficção científica ambientada na década de 1980, ‘Stranger Things’ chama a atenção pela ambientação. A representação é marcada por elementos culturais da época, como figurino, brinquedos, hábitos e comportamentos sociais (tais como a reivindicação da mulher de sua competência para atuar no mercado de trabalho, empoderamento feminino, liberdades individuais). (Fotos: Divulgação)

Década de 90

Nos anos 1990 havia a disputa entre a estética das supermodelos e uma antimoda que estimulava uma estética menos plástica. A simplicidade imperava, com destaque para tênis, camisa escolar, o caimento amplo das blusas e T-shirts. A logomania é outro símbolo dos anos 1990, transitando para os 2000. A tendência de ter vários estilos/tribos ficou mais forte e podia, então, haver mistura das referências de cada um. Destaque para xadrez, preto e branco, mochils, tênis, body

Série de televisão norte-americana transmitida pela ABC entre 1987 e 1995. ‘Full House’ conta a vida do pai viúvo Danny Tanner, que chama o cunhado Jesse Katsopolis e seu melhor amigo Joey Gladstone para ajudar a criar as filhas DJ, Stephanie e Michelle. Foi esta a série que revelou as irmãs Mary-Kate e Ashley Olsen. (Fotos: Reprodução/ Divulgação)
‘Friends’ foi apresentada pela NBC entre 1994 e 2004, e gira em torno da vida de seis amigos que viviam em Manhattan, Nova Iorque. Celebrada na sua época, e sucesso ainda hoje, Friends foi indicada a 63 Primetime Emmy Awards e venceu seis. Também venceu o American Comedy Award, o GLAAD media Award, o Golden Globe Award, o Logie Awards, People’s Choice Awards, Satellite Award e Screen Actors Guild Awards. (Fotos: Divulgação)
‘Um Maluco no Pedaço’ foi exibida entre 1990 e 1996 pela NBC e recentemente incluída no catálogo da Netflix. Na produção acompanhamos os conflitos de valores da sociedade americana na década de 90, marcada por problemas raciais. Foi em ‘The Fresh Prince of Bel-Air’ que o ator Will Smith foi revelado. (Fotos: Divulgação)

Anos 2000

Parece cada vez mais pulverizadas as fontes das quais extrair as referências de moda – grunge, esporte, minimalista, preppy (relativo ao estilo de vida da alta sociedade estadunidense). O vestido envelope de Diane Von Furstenberg marcou presença forte. Havia também o uso de coletes inspirados no traje masculino. Cintura baixa, tons terrosos, peças lisas (sem estampas) predominaram, além dos acessórios de cabeça. Destaque para a cintura baixa, blusas de alças finas.

‘Gossip Girl’ é um drama adolescente baseado na série literária homônima escrita por Cecily von Ziegesar, foi originalmente transmitido entre 2007 e 2012. A série é ambientada numa escola de elite de Manhattan, Nova Iorque, em que uma garota fofoqueira (tradução para “gossip girl”) narra os escândalos dos alunos mais populares. A série destaca o glamour da cidade americana. (Fotos: Divulgação)
Série de televisão exibida entre 2003 e 2012, ‘One Tree Hill’ foi filmada na Carolina do Norte. A história gira em torno de Lucas Scott, um adolescente que sonha em ser jogador de basquete. Não à toa há referências do estilo esportivo na série. Interessante notar como o figurino parece mais próximo à nossa realidade: cintura baixa, minissaia jeans reta, camisetas, blusas com decote e amarração no pescoço, sapatilhas. (Fotos: Divulgação)
Exibida entre 2001 e 2005, ‘Eu, a Patroa e as Crianças’ se concentra na família de Michael Kyle, pai e marido que tem um jeito peculiar de lidar com as situações do cotidiano. O estilo dos homens da série bebe nas referências do hip hop: jeans folgados, camisas oversized, tênis, bonés. As mulheres também se vestem conforme sua época, como já mencionamos no item anterior. Destaque aqui para os cabelos usados por Jay, que também acompanhavam o estilo da década: liso, com franjas, ora curtos, ,ora longos; quando cacheados, sem preocupação de estarem molhados, mas com possibilidade de diversos penteados – como vemos nas personagens Clair e Kady. (Fotos: Divulgação/ Reprodução Youtube)

Curiosa, jornalista e libriana. Mestranda no PósCom/Ufba, interessada nos valores - os meus, os seus, os de notícia e os humanos. Se piscar o olho, o cochilo vem, mas os olhos sempre estão abertos para uma série ou outra que desperte o interesse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *