Vestiremos rosa não apenas às quartas-feiras

Não sei o que que é, mas de repente todo mundo da minha bolha decidiu seguir o filme ‘Meninas Malvadas‘ e vestir rosa às quartas-feiras. Meninos, meninas, homens, mulheres, patrões e proletariado. Todo mundo. E quando você vai comentar a “coincidência”, eles dizem: às quartas nós vestimos rosa.

(Foto: Reprodução / Pinterest)
(Foto: Reprodução / Pinterest)

Não faço a menor ideia da importância disso na vida em sociedade, mas fato é que cada vez mais nossos dias têm estado cor de rosa. No ano passado a Pantone decidiu que uma das cores d e 2016 seria o Rose Quartz. Um rosa bebê bonitinho, que dava uma calmaria só. O status era dividido com o Serenity, um azul claro em tom mais frio. Pra esse ano, o Greenery tomou o posto, mas o rosa continua sendo reivindicado. A gente gosta.

Quantas roupas você não já viu nas vitrines com um tom rosê? E os acessórios, com um quê de dourado mais puxado para o rosinha? Chamam até de rosé gold. E a cor em tom pastel, que dependendo da forma remete a algumas décadas passadas?

Essa é uma das peças do preview da coleção Primavera/Verão 2018 da Renner. Olha aí a referência ao combo Rose Quartz e Serenity, do ano passado?! (Foto: Divulgação)
Essa é uma das peças do preview da coleção Primavera/Verão 2018 da Renner. Olha aí a referência ao combo Rose Quartz e Serenity, do ano passado?! (Foto: Divulgação)

Esse apego constante ao rosa fez com que a mesma Pantone estabelecesse o Rosa Millennium como cor da decoração de interiores. Logicamente que não há qualquer restrição e se depender das pessoas, viveríamos combinandinhas com nossos móveis, paredes e objetos de decor.

De todo modo, o X da questão está aqui: o Rosa Millennium remete à geração Y, homônima, também conhecida por quebrar padrões, estereótipos e romper com a dualidade masculino x feminino, enaltecendo assim o genderless. O que eu quero dizer com isso é que, como vemos às quartas-feiras, mocinhos e mocinhas se unem sem preconceitos em torno de uma cor tão dita como feminina.

(Foto: Reprodução / Pinterest)
(Foto: Reprodução / Pinterest)

Já pararam pra pensar que de pasito em pasito conseguimos desconstruir tabus e preconceitos que nos deixa cegas para o diferente? Não sei se tudo começa com o rosa, mas muitas teorias podem ser modificadas a partir daí.

beijo!

Compartilhe com as amigas
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>