Sobre ser amuleto do amor – para os outros

Não sei como é com vocês, mas minha vida afetiva se tornou um pouco peculiar depois de alguns anos nessa guerra que é ser solteira. Nem me dei conta da gravidade quando tudo começou. Achei que era mera coincidência, um acaso do destino, ou até mesmo a típica canalhice masculina à qual somos apresentadas desde cedo, direta ou indiretamente.

Até que depois aconteceu de novo. Meses e meses depois, o jovem rapaz atualizou seu status no Facebook: em um relacionamento sério. E não era comigo. Alguns meses depois, outro com quem conversava, cujas intenções não eram tão inocentes assim, postou uma foto no Instagram, acompanhado de um coração. Não era comigo. E a história se repetiu mais três vezes.

Fato é que quando comentei isso com duas amigas, em momentos diferentes, ambas me disseram: “Parece aquele filme…” Aham. Pareço, sim, com ‘Charlie, o dentista’, do filme Maldita Sorte. Assisti ao início do filme pra entender o que poderia estar a acontecer comigo, mas o mais próximo que cheguei de uma conclusão foi que alguém, certamente, me amaldiçoou. (?!) Brincadeira. O Santo aqui é forte e eu saberia se alguma maldade desse tipo viesse a me alcançar. rsrs

via GIPHY

Mas é engraçado passar por isso. Apesar da recorrência, eu ainda me choco quando vejo que a situação se repete: me interesso pelo jovem rapaz, demonstro interesse, logo ele se envolve em uma relação com outra pessoa. Horas depois me pego rindo do absurdo que se torna uma situação como essa quando acontece repetidas vezes.

Deve ter aí alguma lição que eu preciso aprender, embora não faça a menor ideia de qual seja. Ou talvez eu seja uma espécie de cupido que serve para sensibilizar os corações mais fechados e, com isso, abrir os caminhos para que o amor lhes chegue. Será?! São só palpites, sem o menor fundo de certeza ou qualquer indício que me faça apostar em alguma dessas hipóteses.

De todo modo, não sei como se desenrolarão os próximos capítulos dessa história. Lembro que até onde vi Maldita Sorte, Charlie parece estar apaixonado por uma moça. Corajoso. Não sei como o filme termina. Vou retomar de onde parei para, quem sabe, ter um pouco de noção do que me acontecerá.

Torçam por nós.

Compartilhe com as amigas
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>