Artigos,  Moda

Releitura de tendências passadas ganha força no outono/inverno 2016

Mais uma temporada de moda começando e você já deve pensar que é o momento de gastar o suado dinheirinho nas boutiques e lojas de departamento, não é mesmo? Errado! Tem muita peça de outros carnavais que poderão ser usadas no outono/inverno 2016, como aquelas com influência militar e esportiva. Então, moça, pode tirar o tênis do armário e deixar aquela leveza do verão bem pertinho! “Antigamente, de uns anos pra cá, tratávamos a moda como algo descartável, o que foi usado na última coleção não seria usado mais. Essa mentalidade de desperdício não tem mais mercado. Os recursos naturais estão extremamente escassos, o algodão é de um nível de poluição absurda. Os estilistas estão mais conscientes disso”, explica a consultora de imagem e estilo Márcia Honorato.

De acordo com a Vicunha Têxtil, as tendências de outono/inverno mantêm o vintage, as referências boho, o destroyed e uma pegada mais lúdica. O tales, por exemplo, busca inspiração na transmissão das tradições, incentivo à conscientização cultural e despertar da criatividade das pessoas. O handmade se une aos tecidos nobres de acabamentos rebuscados e prints ornamentais. Os shapes clássicos, como casaquetos, trench coats e ponchos de adaptam ao folk com detalhes decorativos. A cintura marcada continua em alta, em wide legs, skinnys e saias midi, por exemplo.

Tons terrosos dão a cor do outono/inverno da Renner (Foto: Flashes e Fatos)
Tons terrosos dão a cor do outono/inverno da Renner (Foto: Flashes e Fatos)
Coleção Miu Miu Paris 2016/2017 (Foto: FFW)
Militar clássico da coleção Miu Miu Paris 2016/2017 (Foto: FFW)
Coleção Chanel Paris 2016/2017 (Foto: FFW)
A coleção Chanel Paris 2016/2017 deixou a cintura bem marcada, mood da temporada (Foto: FFW)
Sobretudo no estilo militar da coleção outono/inverno da Renner (Foto: Flashes e Fatos)
Sobretudo no estilo militar da coleção outono/inverno da Renner (Foto: Flashes e Fatos)

O vintage inspira a aparência destroyed do alchemy, numa mistura de texturas e acabamentos em mood mais rústico. É como se fosse a evolução do patchwork e das influências boho, com tecidos de aparência retrô e nuances washed-out. Kimonos e poet blouses são combinadas a maxipantalonas, saias logas e macacões flare, de acordo com cool hunter da Vicunha, Lorena Botti. É o momento de investir no estilo descontraído das joggers e casacos com capuz (segue lendo que já, já aparecem dicas de como se apropriar a pegada mais esportiva). Os anos 60 e 70 continuam inspirando, desta vez o mood recreation, mais lúdico e cheio de linguagens: passado e futuro, mundo on e off, clássico e moderno, a estética visual elegante e contemporânea (isso inclui a quebra do tradicional da alfaiataria). Devemos estar prontas para encontrar (e usar, se for o caso) aplicações, mistura de tecidos, contrastes de materiais e tonalidade; plissados, borados e matelassados, além de silhuetas limpas.

E essa união do vintage com o novo vem também no trend revive, e aí a gente volta a falar daquela inspiração destroyed, em que o feio se torna bonito e inspirador. Os tecidos virão com superfície texturizadas, com aspecto corroído, desgastado, com o preto e cinza lavados. “Predominam azuis intensos e blacks desbotados, trabalhados em graduação de tons e lavagens cheias de efeitos e texturas”, diz a cool hunter. Alguns desses efeitos aparecem em blazers estruturados, como matelassês e aplicações de inspiração militar.

Convencida de que dá pra reaproveitar muita coisa da coleção passada nesse outono/inverno? E para deixar as coisas mais às claras, a Moça Criada pediu dicas para consultoras de imagem e estilo sobre como adequar o mood esportivo e o militar na nova temporada. Prontas?

De casacão e tênis

Os itens que marcam esse estilo são as peças de moletom, jaquetas bomber (aquelas no estilo americano, com elástico na cintura), calças jogging e tipo agasalho, kimonos, mochilas, casacos, tops e blusas de algodão, body, vestido longo de malha, conjuntos de agasalho e gola rolê. Para o look não ficar caricato e parecendo que saímos de casa direto para academia, a consultora de imagem e estilo Márcia Honorato sugere o “visual smart”, numa espécie de mix de estilos: casaco esportivo com saia de couro ou saia midi, por exemplo. “Fica incrível, porque pega uma peça bem street style, como o couro, com a peça esportiva. Esse conjunto você pode usar com tênis ou colocar um salto. Outra sugestão é usar calça esportiva com blusa mais sofisticada”, acrescenta.

(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
Camila Coutinho arrasando com a gola rolê (Foto: Pinterest)
Camila Coutinho arrasando com a gola rolê (Foto: Pinterest)
Camila Coelho usa outro modelo de gola rolê (Foto: Pinterest)
Camila Coelho usa outro modelo de gola rolê (Foto: Pinterest)

A consultora Moara Gomes Neves lembra que as jaquetas bomber podem ser usadas tanto durante o dia quanto durante a noite, com salto alto, em uma ocasião mais formal. “Tudo depende do tecido da jaqueta. É ele que vai modernizar a produção e não deixá-la tão esportiva”, diz.

(Foto: Observatório Feminino)
(Foto: Observatório Feminino)
(Foto: Observatório Feminino)
(Foto: Observatório Feminino)
(Foto: Observatório Feminino)
(Foto: Observatório Feminino)
(Foto: Observatório Feminino)
(Foto: Observatório Feminino)
(Foto: Observatório Feminino)
(Foto: Observatório Feminino)

Fernanda Fuscaldo, consultora de imagem e estilo, deu algumas dicas preciosas pra usar o tênis no look do dia. A primeira delas é sobre a escolha dos queridos: menos é mais e ainda livra o aspecto #partiuacademia. “Para ganhar passe livre nos looks do dia a dia, ele precisa ser complementado por peças mais arrumadas. Coloque acessórios, como uma boa bolsa, um colete, um blazer ou uma bijuteria”, sugere. Os tecidos mais nobres também compõem um look cheio de informação de moda, como seda, couro e tweed, e até mesmo a alfaiataria. Na parte de baixo, legging e skinny são boas pedidas, e a dobradinha na barra ajuda a alongar a silhueta, segundo Fernanda. “Se a opção for subir a barra, a altura ideal é no comprimento acima do joelho. Não precisa ser curto, dois dedos acima já ajudam a não achatar a silhueta”, conclui.

(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)

+DICAS

– Vale até colocar um scarpin aí nessas calças mais molinhas, que é um visual mais marcante
– Gola rolê ou roulée (do francês), vem desde 1940, mas teve forte tendência em 1990 e volta com tudo. Se forem usadas com saias e tênis, fica visual jovial e leve, perfeito para fim de tarde; com calças ficam mais esportivas
– Também ajuda a alongar a silhueta a parte de baixo em cor próxima ao do tênis
– A modelagem da bomber aumenta o volume na parte de cima, então a dica para quem quer esconder a barriguinha ou o busto é escolher a peça em cores escuras, que retraem visualmente. A parte de baixo mais chamativa, em cor clara e/ou com estampa equilibra a silhueta
– “Não existe ‘pode e não pode’, como baixinhas não poderem usar comprimentos midi. O que existe é entender suas proporções e ajustar a escolha de peças, acessórios e complementos para dar melhor efeito ao seu corpo”, diz Fernanda. Captaram o recado da moça informada?

Sem guerra

Lembram das parkas, casacos com abotoamento duplo e os tons verde oliva? Pois! As referências que entraram no guarda-roupa feminino nos anos 1940 continuam nos nossos closets e araras 70 anos depois. A consultora Moara Gomes Neves explica essa ida e vinda, até a permanência. “A tendência militar começou a entrar no guarda-roupa feminino na década de 1940, primeiramente por condições financeiras. Já nos anos 60 e 70 foi usada pelas mulheres como forma de manifesto anti-guerra, mas foi nos anos 90 que ela se tornou elemento fundamental do estilo boho chique”. Esta já é a terceira temporada de militarismo no mundo fashion, mas houve algumas inovações. As peças estão bem estruturadas, com detalhes nos ombros, coletes e duplo abotoamento em saias, calças e casacos. Para não parecer que estamos indo à Terceira Guerra Mundial, o ideal é equilibrar peças com outros estilos, com peças femininas e delicadas, acessórios e salto alto.

(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)
(Foto: Pinterest)

+DICAS INVERNO

– A cintura marcada vem atravessando estações e chega no outono/inverno dando a medida
– A alfaiataria chega em alta com acabamento impecável, cortes e padronagens mais leves, cores clássica e estampas com riscas de giz, segundo a consultora Márcia Honorato
– O tubinho vem repaginado em versões midi e longa, para os próximos anos
– Tweeds saem do clássico e passam a frequentar a balada com aplicações de brilho e pedrarias
– Ternos masculinos e femininos também ganham cara nova, com formas mais arredondadas
– Tons terrosos, como o caramelo, dão o tom da temporada
– E as passarelas internacionais já revelaram: o veludo molhado também está de volta! Quem gosta?

Curiosa, jornalista e libriana. Mestranda no PósCom/Ufba, interessada nos valores - os meus, os seus, os de notícia e os humanos. Se piscar o olho, o cochilo vem, mas os olhos sempre estão abertos para uma série ou outra que desperte o interesse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *