Propósito como palavra-chave da existência

Substantivo masculino. Um alvo, uma intenção, um plano. Uma ideia. Um objetivo que se quer alcançar ou uma meta que se queira atingir. Propósito. As definições no Dicionário Informal teorizam bem sobre o que pode ser essa palavra-chave na nossa vida. E, se pararmos pra pensar um pouquinho, vamos perceber que cada acontecimento é uma peça desse enorme quebra-cabeça que é a existência.

Antes de escrever esse texto ouvi uma das Pílulas do Evangelho que recebo diariamente numa lista de transmissão do Instituto Ricardo Melo. A mensagem falava algo sobre os desafios que a gente enfrenta periodicamente. Dos mais simples, como a dificuldade de falar em público, aos mais complexos, como um tratamento de saúde que põe a vida em risco. A moral da história era que cada obstáculo nos ajuda a crescer de alguma forma e não há motivo para desespero, já que, na condição de seres em progresso, vivemos num mundo de provas e expiações.

E isso me fez perceber que há propósito em tudo. Nada aparece em nosso caminho sem que haja um motivo, um plano, uma intenção, um objetivo para ser alcançado. A permanência prolongada numa determinada condição pode nos fazer mais forte para situações futuras ou até mesmo nos dar a clareza necessária para agir dali em diante. Uma pessoa com quem vivemos momentos conturbados pode ter entrado em nossa vida para nos tirar da zona de conforto e nos fazer confrontar nossos medos, dispensar maus hábitos, rever conceitos, amadurecer. Uma demissão pode vir a ser o pontapé que precisávamos para expandir os horizontes. A perda pode nos ensinar a valorizar o que antes achávamos corriqueiro. Quem sabe a solidão não chame a atenção para a necessidade da autonomia e independência?

São só exemplos. Não temos como saber exatamente que tipo de propósito determinada situação carrega. Embora real, propósito é crença. É conhecer a nós mesmos, encontrar numa situação do “acaso” um gancho para a melhora, para daí, sim, atribuir um propósito. Deus pode estar envolvido nisso – e certamente está, ou não passaríamos por aquelas situações que nos agregam algum conhecimento. Mas é como diz aquela passagem evangélica: quem tem olhos para ver, que veja.

É oportunidade mesmo. É estar em constante vigilância para não perder uma chance sequer de progredir, afinal, estamos aqui para isso. E reconhecer uma possibilidade de crescimento numa situação aparentemente ruim já pouparia tanta energia! Sim, é aquela coisa de ver o copo meio cheio e consequentemente sintonizar na vibração das boas energias. É estar bem – consigo, com o outro e com o entorno.

No fim das contas, o propósito de todo mundo é sempre esse, não é mesmo?

Compartilhe com as amigas
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *