O cabelo do momento pode mudar a qualquer momento

Imagine a cena: você acaba de ler numa revista que a cor de cabelo do momento é o ruivo, aquele bem acobreado. Do jeito que você é ligada nas tendências de moda, o horário com seu cabeleireiro de confiança já está marcado para o sábado. Se prepara, Brasil, uma ruiva vai nascer! Daí que você a-m-a o resultado, bomba nas redes sociais, se sente o ícone de estilo, até que um mês depois você se depara com uma nova informação: os cabelos pretos voltaram com tudo, bem Branca de Neve mesmo! E aí, faz o que agora?

via GIPHY

Essa camaleonice com os cabelos se assemelha muito com as roupas, ou seja, cada mês é uma tendência diferente que nos motiva a gastar alguns trocados. Se te tranquilizar, pega essa dica: você não precisa seguir a tudo isso. Estive pensando nessa frequente mudança dia desses e, hoje, escrevendo esse texto, percebi que a dinâmica é essa mesmo. A gente é que precisa aprender a consumir esse tipo de conteúdo. Porque, veja, é preciso alimentar a aba “Tendências” das publicações, o mesmo para “Cabelos”. Não dá pra colocar tudo o que se enxerga como possível futuro modismo numa única edição.

Sem contar que o mercado certamente enxerga a multiplicidade de estilos e personalidades que existe entre seu público consumidor e potencial consumidor. Logo, é justo oferecer variedade. Numa revista que leio sempre, por exemplo, em seis meses foram pelo menos três apostas diferentes de tendências para cabelos. Em janeiro, foi o loiro pálido com raiz por retocar, numa inspiração bem rocker anos 1990. Nada que você, que pintou o cabelo e ainda não liberou o cartão para retocar, não saiba como seja.

Já em maio os cabelos coloridos, variando a cartela do vermelho, foram apresentados como tendência do momento. O diferencial foi a suposta inspiração em drinks. Daí que apareceram um laranja, variante do loiro acobreado com fundo pêssego, e um magenta apropriado para cabelos castanhos. O tom rosa apareceu em três aspectos: raízes escuras, nuances de rosa e pontas platinadas; transição gradual do loiro para o rosa no comprimento do cabelo; e o tom entre o rosa-bebê e o pink.

Em junho, por outro lado, o cinza foi colocado como mais uma aposta da temporada. Há de se considerar o contexto, claro, em que estamos aprendendo a valorizar o natural. Dessa forma, trazer o cinza – mas na prática é o grisalho mesmo – para as páginas de revista legitima aquilo que muitas mulheres se preocupam em esconder. É uma tentativa de desconstruir que o grisalho não é bonito. A coisa é tanta que na reportagem de quatro páginas sobre a tonalidade considera-se o cinza como o novo loiro. É um reforço, hein?!

via GIPHY

De todo modo, é preciso avisar à amiga de que falei no início do texto que não é preciso se desesperar para ter o cabelo do momento. Afinal, como vimos, o cabelo do momento pode mudar a qualquer momento. E nossos fios não precisam ser submetidos ao processo de química só para, supostamente, estar na moda. Inclusive, é muito mais referência de estilo escolher um cabelo que combine com você e adotá-lo para o período que te deixar confortável. E se bater a vontade de mudar, muda – ou para o “cabelo da moda” ou para qualquer outro que te satisfaça.

Apesar da preocupação em nos oferecer possibilidades diversas, nada é de graça no mercado. É bom também que estejamos atentas para o que pode estar por trás de uma tendência ou outra. Às vezes não é nada, já outras…

Até a próxima!

Compartilhe com as amigas
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

2 thoughts on “O cabelo do momento pode mudar a qualquer momento

  1. Acho suuuuuuuuper interessante essa questão de tendência, mas sigo mais a questão da cor que me sinto bem. É a melhor né?!?
    Arrasa, Moça!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *