Não meça sua vida pela régua dos outros

É um erro que eu ainda cometo? É. Deixa de ser algo que eu insisto em tentar mudar? Não. A gente não se dá conta do mal que faz medir nossa vida pela régua dos outros até que a gente se sinta improdutivo, se questione as escolhas que foram feitas até então e note um pouco de desestímulo quando se trata do futuro.

É uma lição tão fácil em teoria, não é mesmo? Cada um tem a sua vida, com oportunidades diferentes, escolhas próprias, karmas particulares, lições diversas para aprender. Eu acredito em missões de resgates aqui na Terra, então essas duas coisas também variam conforme a pessoa e refletem um caminho peculiar a ser trilhado. Easy, não?!

Tudo vai bem até que as outras pessoas materializam seus avanços no entorno onde nossa vista alcança, ou então algumas pessoas queridas se dão ao trabalho de nos mostrar. “Olha lá a Joana, com 28 anos já é doutora e professora efetiva de uma universidade pública”; “Ana, você deveria seguir o exemplo de Maria! Já passou num concurso público, comprou um carrinho e financiou seu apartamento. Tudo isso e nem tem 30 anos ainda”. “Oh, Paula, quando é que você vai arranjar um namorado? Daqui a pouco você vai ficar pra titia aí…”.

Isso sem contar aquela pressão que nós mesmas nos colocamos. Fomos estimuladas a pensar que entraríamos na faculdade, formaríamos, casaríamos, constituiríamos família, viveríamos felizes para sempre até que a morte nos separasse. Também crescemos acreditando que somos capazes, chegaremos no famigerado . Só não nos disseram em quanto tempo isso aconteceria, tampouco que o conceito de tempo é relativo e varia conforme cada uma de nós.

Estaria mentindo pra vocês se dissesse que tenho tudo sob controle e a partir de hoje não me preocuparei mais com os outros. Repito pra mim mesma todos os dias que ainda sou nova, preciso amadurecer para que as coisas comecem a acontecer, que tudo é uma questão de tempo (olha o dito cujo aí!), que o reconhecimento pelo meu trabalho virá e eu não posso parar de produzir. Repito esse mantra há meses, todas as vezes que tenho crises de ansiedade por não apresentar os resultados que alguém na carreira há mais tempo parece apresentar.

Mas só comecei a pensar assim depois que alguém (não lembro quem) me disse que a gente não deve medir nossa vida pela régua dos outros. Sabe aquele papo de que alguém ser boa não nos impede de ser também? Ou de não ser bonita como ela, mas como você? A dinâmica é a mesma. O importante é que a gente tome consciência do processo e se prepare para quando os humilhados forem exaltados.

Também aprendi que nada nos acontece sem que sejamos merecedores ou precisemos passar por aquela situação. Deus é tão maravilhoso e a vida, tão sábia. Se lembre disso na próxima vez que a crise bater. 😘

Compartilhe com as amigas
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>