Looks de junho e os tempos de crise com as roupas do armário

Você piscou e cá estamos na última segunda-feira de junho para os looks do mês, seção estreante neste ano que no blog e que tem me ajudado a refletir o processo de composição do meu armário. Desta vez, a crise não é quanto a como me vestir, como no mês passado, mas diz respeito a o quê vestir daqui pra frente. Não que eu pense em abandonar meu estilo confortável, despojado, descomplicado. Não que eu queira jogar minhas camisetas pela janela e descartar o MOMs jeans que tanto me faz sentir livre e pronta pra qualquer ocasião. Tenho pensado mesmo sobre mudar outras coisas.

É o tecido, a estampa, o recorte das roupas, o tipo de calçado, calcinhas e sutiãs. Questiono se não seria o caso de investir em peças aparentemente mais duradouras e atemporais, com qualidade de costura superior àquelas que estou acostumada a adquirir. Pergunto se não é chegado o tempo de investir em cores, ao invés de estampas. Entende? Tênis seguem presentes, mas dividindo espaço com mocassins cheios de personalidade em toda a sua sobriedade. O toque divertido segue firme com camisetas e minha atitude, por exemplo, mas aliado à elegância de peças clássicas, no que seria o início da transição – talvez tardia – da juventude para a vida adulta.

Me ver como mulher tem sido uma barreira a ultrapassar já faz alguns tantos meses. Nos últimos, o coro da necessidade ganhou ajuda da vontade de cortar o cordão. Tentei aos poucos nesse mês, quando ousei no vestido azul com recortes para o casamento do colega, e também quando apostei na blusa de gola alta e a pantacourt preta (que remete à alfaiataria). Tentei também quando usei a blusa azul com estampa de banana, mas ainda que o modelo me agrade, aquela estampa ali já não faz o menor sentido pra mim. Mudanças…

Olha aqui o vestido do qual falei acima. Esta foi a primeira vez que o usei, depois de adquiri-lo no Troca-Troca de Bugigangas promovido pelo Pittaco na Moda, em 2016. Antes só o havia usado pra uma sessão de fotos. O cabelo e a make formaram o combo que me fez sentir um mulherão, como jamais havia cogitado me ver antes. A experiência foi boa. Potencializou o sentimento de mudança. (Foto: Moça Criada)
Apesar dos seios grandes, não me sinto prejudicada pela gola alta. Acho, inclusive, que ela dá uma valorizada diferente no meu corpo quando sem mangas cobrindo os braços. Combinei com a calça pantacourt preta e troquei o cinto fininho por um dourado e mais grosso. Chamou a atenção para a região, como eu queria. (Foto: Moça Criada)
Desse look, eu gosto mais da proximidade entre os tons da blusa e da calça, contrastando de um jeito bacana com o mocassim branco. O look pode ter ficado um pouco confuso porque do meio pra baixo pareço casual/séria, do meio pra cima pareço casual/divertida. Vou atribuir isso à crise e ninguém pode me julgar. (Foto: Moça Criada)
Mais uma vez essa saia aparecendo aqui, desta vez com uma blusa de mangas compridas. Ótima saída pra essa loucura que estava o fim de outono em Salvador, quando a gente saía de casa e estava quente, mas chegava ao destino e já estava frio. O mocassim foi o risco que tomei de molhar meus pés, mas esse visual ficaria igualmente interessante se eu substituísse pela minha botinha de chuva da Melissa. Talvez um pouco arrumado demais, mas interessante, sim. (Foto: Moça Criada)
Aqui temos o melhor de alguns mundos e talvez quando toda essa minha crise com o armário começou. Essa proposta foi um ensaio de como seria apostar nos clássicos da moda: alfaiataria, listras, preto – vale até um post aqui, depois, hein? O truque com esse meu sapato de chuva da Melissa é usar meias de cano médio e longo, porque dão efeito diferente com o calçado, quando da mesma cor. Observe! (Foto: Moça Criada)
Aqui temos o mesmo sapato, mas sem meia de cano médio. Logo se vê que o efeito é outro mesmo. Fui bem óbvia e mais básica do que nunca nesse look por motivos de preguiça de me arrumar. Mas é como dizem: salto nunca decepciona pra deixar algo arrumado, né?! Dependendo do modelo, um tênis cairia bem também. Rasteiras é que não tenho certeza. (Foto: Moça Criada)
Duas coisas sobre essa foto: eu havia comido tudo o que tinha direito na noite de São João e havia ali um mix de estampas bem discreto. O top por dentro dessa camisa xadrez é, na verdade, aquele azulzinho de listras verticais que usei (e não abusei) no verão. O cinto com a fivela grande foi uma referência à galera do interior, o short e o mocassim foram por critérios de conforto mesmo. Detalhe: nenhuma dessas peças foram adquiridas para a ocasião, mas nem assim fiquei desarrumada. Viu que a gente não precisa comprar roupa só pra um momento? (Foto: Moça Criada)
Da onde eu venho esse fios na testa são chamados de “pega-rapaz”, mas eu prefiro apelidá-los de “pega-taça” porque o hexa tem que vir pra gente esse ano, né não?! Look pra curtir o primeiro jogo do Brasil na Copa, contra a Suíça. Comfy que só! 😀 (Foto: Moça Criada)
Compartilhe com as amigas
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *