Looks de julho: Que peças do armário você já misturou?

Não sei como era na sua casa, mas minha mãe me condicionou a separar as roupas de ficar em casa, as roupas de domingo e as roupas de sair. Durante algum tempo depois de ter saído da casa dela eu ainda fiquei com essa separação na cabeça e tentava classificar minhas peças nas caixinhas do “ficar em casa”, “ir  à faculdade”, “sair de dia” e “sair à noite”. Também não deu muito certo, porque eu me via com menos roupa do que eu tinha e, por outro lado, perdia todo o potencial que aquelas roupas poderiam ter em diferentes contextos.

Então foi super fácil reprogramar a lógica do meu sistema pessoal de vestuário. Em teoria, pelo menos. Na prática ainda fico com aquele ranço de “ai, mas eu usei esse vestido pra almoçar num domingo, como poderei usá-lo num ambiente mais arrumado à noite?”. Noias que criamos sem razão aparente, apenas como fruto de um pensamento que foi moldado por tanto tempo. Não quero aqui responsabilizar minha mãe, afinal, os tempos eram outros e ela certamente foi criada sob a mesma dinâmica porque, aliás, os tempos na época dela eram mais outros ainda.

Fato é que hoje as coisas estão melhores, nossa consciência se expandiu e estamos num movimento de utilização ao máximo das roupas que temos no armário. O primeiro passo pra desconstruir aquela lógica destruidora do potencial de nossos armários é mesmo pegar uma peça de cada caixinha e usá-la em momentos completamente diferentes do pressuposto. Pode dar certo. Eu experimentei isso nos looks de julho. A experiência psicológica foi meio doida, mas na prática, ó… O resultado segue abaixo!

Preciso ser honesta pra dizer que eu já havia usado essa combinação há algum tempo. Mas foi num contexto de encontrinho com os amigos, depois de assistir à defesa do TCC de uma amiga. Mas repeti a dose pra ir à aula e revelar uma curiosidade: essa calça pantacourt é meu pau pra toda obra – de eu já ter ido da praia a uma cerimônia de formatura com ela. A blusa eu só havia usado em contexto de lazer mesmo, porque ela é mais curtinha. O sapato já é velho conhecido. (Foto: Moça Criada)
A vida tem a cor que a gente pinta mesmo. Nesse dia de inverno eu decidi pintar a minha de laranja e jogar um denim por cima pra reforçar a cor. Também para ir à aula, montei um look mais despojado com o tênis e o colete. O vestido foi mero detalhe, já que, com toda sua versatilidade, ele vai do casual ao arrumado. A tiara-turbante da Pittaco na Moda também foi outra novidade para circunstâncias mais “sérias”, já que eu o utilizava geralmente para situações de lazer. (Foto: Moça Criada)
A Copa acabou, o hexa não veio, mas a ousadia de misturar as peças das “caixinhas” existiu. Essa saia estava na gaveta das peças de sair, afinal, ela tem um tecido mais encorpadinho, é mais girlie, tem tudo a ver com uma composição mais arrumada. Neste dia de jogo do Brasil, eu a tirei desse contexto para levá-la ao bar, ali na praça perto de casa, acompanhada de um chinelo. E foi tudo bem! Exceto pela eliminação na Copa, mas isso aí a gente já superou – ou quase. (Foto: Moça Criada)
Essa foi a misturinha mais legal pra mim. Veem a calça? É aquela pantacourt preta, que eu troquei o cinto pra deixá-la mais pesada. O mix de peças tá no detalhe: o cropped do verão + a jaqueta de padronagem militar do inverno. A foto não mostra, mas eu estava de chinelos também. Mas o truque, truque mesmo, de styling foi a bolsa pendurada por dentro da jaqueta. O que acha? (Foto: Moça Criada)
Mais uma aparição dessa calça, dessa vez numa composição mais séria que ganha ar esportivo na foto por causa do tênis de academia que eu esqueci de colocar mais pro ladinho! hehehe Mas esse visual contempla aquela crise que eu tenho sentido – e falei no mês passado – sobre as roupas do meu armário. Aquela coisa de ter peças mais clássicas, mas sem perder o estilo, lembram? E eu gostei muito de vestir essas roupas. Note que o cinto mais fino na calça pantacourt deu outra impressão à peça. (Foto: Moça Criada)
Essa composição foi pura ousadia. Para além de trazer ao ambiente mais sério (digo, de aulas) essa blusa específica para momentos de lazer, ela é uma bata. Isso mesmo, com volume, folgadinha. E deu pra colocá-la por dentro da calça MOM’s Jeans, o que foi super uma vitória do povo da moda! Vê que se esforçar um pouquinho dá pra incluir outros usos pra roupa que você tem em casa? (Foto: Moça Criada)
Eu deveria ter começado esse post dizendo que todas as misturas de peças que fiz em julho levavam as roupas de lazer para as aulas, né? Porque é o que aconteceu aqui também, quando peguei a T-shirt da Looney Tunes – que já apareceu aqui no blog num look mais diurno – e combinei à calça MOM’s e ao mocassim branco. Acredito que o sapato foi o responsável por incluí-la sem ressalvas no look mais arrumadinho. O batom escuro também contribuiu, precisamos reconhecer. Que tal? (Foto: Moça Criada)
Mas meu look preferido do mês foi esse daí, escolhido para o dia em que escolhi ser jovem e sair num sábado à noite. É também o look mais simples de todos, que traz o inverso da mistura que já vimos aqui: foi a calça, usada no ambiente mais “sério”, que foi adaptada ao lazer. Usar um cinto chamativo, dobrar a barra e deixar mais pele dos pés à mostra com a rasteirinha foram estratégias que a deixaram até mais leve, diga se não?! O body foi a estrela do look, acredito, mas a concorrência foi pesada com o ruivo do meu cabelo, retocado por Valéria Vigné. Tem mais fotos dessa cor no meu Instagram @tetemarques_. (Foto: Moça Criada)

Não esqueçam de seguir o perfil do blog no Instagram, @mocacriada! Voltamos com tudo com as atualizações por lá!

Compartilhe com as amigas
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *