Artigos,  Moda

Estão prontas para voltar aos anos 1980?

Deus nos livre de ter que voltar aos anos 1980. A conjuntura política do Brasil hoje dá sinais de que tá querendo trazer de novo aquele período de direitos individuais restritos, a mentalidade da maioria das pessoas parece regredir conforme os dias avançam e agora o ciclo da moda também sugere essa retomada. As revistas Elle e Glamour desse mês de novembro (só consegui terminar de ler ambas agorinha!! *o*) usam registros dos desfiles de Jeremy Scott, Saint Laurent, Gucci, Kenzo e Balmain para cravar que tiraremos os holofotes da pegada 90inha para fazer brilhar (literalmente haha) o mood 80inha. Quem tá preparada?

As publicações pegam como exemplo o foco no babado, ombro, brilho e fendas. Isso a gente já tem visto, mas, para pra lembrar como era a década aí, rapidinho, e volta seu olhar para os anos 2016. Livros contam que um dos marcos dos anos 1980 era a onda das academias de ginástica e o mood fitness: lycra, sapatilhas e polainas em cores cítricas e super blocks. Trinta anos depois vemos a mesma moda de volta, mas com um remake que acompanha mais a época. Por alto temos a jaqueta bomber, a calça jogger, shorts com shape mais esportivo, tênis (inclusive aqueles mais esportivos estão nas ruas) e moletons. O antigo collant é o novo body e muita gente tem se rendido a isso. Perceberam o mesmo que eu?

As cores também são marca da década, pra chegar com tudo mesmo em qualquer lugar. Muito roxo, muito vermelho, muito laranja cítrico, verde cana… A gente pode até dizer que seriam meio collor block, né, já que algumas chegam a doer os olhos de tão fluorescentes que são. Do lado de cá do futuro (ou presente, no caso hahaha) temos aí a força de cores vibrantes querendo chegar, como o pink de Valentino e o amarelão da Bottega Veneta. E isso vai além da roupa. Aparece nos acessórios de acrílico (alô alô anos 1980, tá vindo com tudo mesmo, hein?!) e em bolsas também.

Mas até aí tudo bem pra mim. Adoro a diversão que essas características acima representam. To amando tênis, acho linda a jaqueta bomber, quero t-o-d-o-s os shortinhos esportivos de moletom e ainda lanço um brincão de acrílico coloridíssimo pra compor o mix. Me preocupa, minha amiga, quando a gente começa a falar daquele estilo glam da década de 1980, das ryyycas que iam pras baladinhas topper brilhar mais que o globo.

Li por aí que já tendo proposta de animal print (tá bom, esse nunca saiu de cena, apesar do papel secundário), tá tendo brilho, muito brilho, e babados pra morrer! Esses últimos vêm na pegada mais romântica também, mas aí é outra história, até encaro. O problema é me convencer a investir numa peça de um ombro só e estruturado, com babados na manga de um dos braços. Meu amor, que isso?! Respeito quem faz, admiro quem usa, mas não dá pra mim, não, Saint Laurent. Não dáááá! hahaha (Será que as millenials estão prontas a usar ombreiras novamente ou estas não serão mais necessárias para causar o efeito estruturado nos ombros das peças?)

Também não sei se consigo sair com um tubinho brilhante, como sendo de lantejoulas, pra boate dançar. A proposta mais cintilante é outra que pintou por aí para representar os anos de consagração das boates, mas essa eu também deixo passar.

Mergulhamos de cabeça no hippie chic inspirado nos anos 1970 e estamos amando reviver a moda dos anos 1990. Será que tem espaço para a oitentinha pintar por aqui?

ps.: Escrevi esse texto com uma única imagem na cabeça. Aqueles videocassetes de exercícios físicos com pessoas usando aqueles collants cavadíssimos em tons de rosa laranja, roxo, verde cana… Beautiful, non?

 

via GIPHY

Curiosa, jornalista e libriana. Mestranda no PósCom/Ufba, interessada nos valores - os meus, os seus, os de notícia e os humanos. Se piscar o olho, o cochilo vem, mas os olhos sempre estão abertos para uma série ou outra que desperte o interesse.

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *