Conheça Rodrigo Polack, o stylist responsável pela mudança de Ludmilla

Nos últimos dias, a cantora Ludmilla postou uma montagem emocionante em seu Instagram. De um lado, uma imagem de quando ela ainda estava começando no funk, certamente da época de quando ela se identificava como Mc Beyoncé. De outro, uma foto mais recente e reflexo da mudança de estilo (ou seria encontro de estilo?) pelo qual ela tem passado nos últimos dois anos.

O santo responsável pela diferença notável tem nome, sobrenome e coleciona vasta experiência como personal stylist. Rodrigo Polack também trabalha com famosos que esbanjam personalidade por aí, como Gaby Amarantos, Hugo Gloss, Patricia Poeta e Suzi Pires. Também é de Polack o styling de Cláudia Leitte no clipe ‘Baldin de Gelo‘. Em entrevista ao blog Moça Criada, o expert contou como se deu – e ainda tem acontecido – o processo de transformação de Ludmilla e dá dicas de mestre para as leitoras se inspirarem. Vamos ver?

moca-criada-ludmilla-15

Como funciona esse trabalho do stylist de uma celebridade? De que maneira vocês definem essas estratégias?
Na verdade tudo começa com uma conversa com o cliente. Preciso entender a personalidade dele, do que gosta e nao gosta. Meu trabalho é de sintonia, preciso criar uma certa intimidade com o meu cliente pra ter liberdade pra falar o que quiser e ele me falar do que gosta e do que não gosta. Dentro do que eu vejo nele como personalidade, que imagem ele quer passar: se é cantor, qual estilo de música e público. Tudo isso é pesquisa pra chegar numa imagem legal. Claro que é com o tempo que você vai construir, não é de uma hora pra outra. Isso demora um tempinho, a gente vai criando aos poucos. Costumo dizer que não é imposição minha. Procuro entender a pessoa e dar o melhor daquele estilo.

moca-criada-ludmilla-09

 

moca-criada-ludmilla-04

Desde quando era Mc Beyoncé até hoje, Ludmilla passou por uma mudança incrível de visual. Como a gente pode definir o estilo dela hoje? Como ela se encontrou?
Tenho mais de dois anos com Ludmilla. Quando comecei, ela já tinha estourado com algumas músicas, mas tava no primeiro CD – estourado com ‘É Hoje’. Só que a Ludmilla vem do universo do funk, universo que já tem sua imagem meio pré-definida, clichês antigos, que é usar roupa muito justa, muito curta, aquela estética de mostrar sempre as curvas, decote, estar meio pelado. Quando encontrei com ela, ela tinha muito dessa linguagem. Era uma menina, não tinha nem 21 anos, tava com 20 ainda. Dentro desse universo Ludmilla tem sempre humor, uma coisa moleca que nunca deixou de ter. Costumo dizer que o lugar dela não é muito de… aquele posto de diva intocável. Ela é mais próxima, mais urbana, mais street. Por isso construí junto a ela essa imagem que é muito interessante, mistura linguagem de street style com o sexy, que é inevitável pra uma mulher de 1,80m. E a música dela foi se transformando. Não é só funk. É pop, tem vários estilos misturados. Como a música teve evolução, o estilo passou por isso. O mix de estilos da Ludmilla me permitiu colocar casaco oversized, por fora de uma coisa sequinha; eu brinco com contraponto do justo com o largo. Ela entendeu essa silhueta. No começo ela não conhecia muito do estilo de moda, aos poucos fui introduzindo isso nela. No começo você quer exatamente ou parecido, usar algumas coisas que pessoas já usam. De um bom tempo pra cá ela já entendeu que é o contrário. Ela é ídola de muita gente, essas pessoas têm nela um exemplo, logo é pessoa que tem que estar sempre mostrando novidade. Não pode ser mais uma, ela tem que estar além, não pode ser comparada a nenhuma outra. Por mais que comparem, é porque as pessoas gostam da comparação, para entender. Sempre que você vai se referir a alguém, compara. Ainda mais que ela tinha essa história da MC Beyoncé, porque ela fazia cover. Hoje se tiver que definir pelo estilo de alguém de fora mais próximo do dela, ela ta mais pra Rihanna do que pra Beyoncé. Ela é mais street, tem mistura, está mais moderna. Tem dia q usa salto, dia q usa tênis. Ela segura muita coisa.

moca-criada-ludmilla-07

moca-criada-ludmilla-17

A gente percebe que Ludmilla muda constantemente de cabelo e, imagino, os looks devem mudar também. Como é esse trabalho de adequar as peças e combinações conforme o cabelo? Um influencia mesmo o outro?
O cabelo na verdade virou um acessório, igual ela troca de roupa. O brasileiro tem preconceito. Na hora de fazer aqui, fala que ta usando peruca. Mas tem um nome legal, que é o full lace, de cabelo natural e colado na cabeça. É uma técnica muito legal. A Naomi Campbell e as irmãs Kardashians fazem. Só que a Ludmilla começou a brincar com isso, com comprimentos e cores diferentes. Tem dia que ta branco, dia que ta azul, verde água. Vai muito de acordo com o humor dela. E pra casar com tudo isso, algumas vezes quando é especial e quero usar alguma cor na Ludmilla, pergunto que cabelo ela ta. Tipo “Com que cabelo você vai estar amanhã?”, exatamente pra propor o look ideal. Vai que ela ta com cabelo verde água e mando um vestido cor de rosa. Às vezes a gente prioriza uma cor ou outra, um metalizado. Tem os pretos que ela adora…

moca-criada-ludmilla-03

moca-criada-ludmilla-02

Nos próximos meses nós passaremos por uma mudança de estação, saindo da temporada de outono/inverno para primavera/verão. O que esperar, em termos de peças e tendências, para os looks de Ludmilla?
A moda não é de uma hora pra outra. Hoje em dia uma tendência dura mais tempo e é uma evolução sempre, principalmente porque ela é uma camaleoa. Um dia ela usa roupa mais justa e amanhã ela pode acordar e querer uma roupa mais larga. Ela enjoa fácil das coisas. Como ela é embaixadora da Puma, misturo coisas esportivas: moletom oversized no inverno. Pro verão eu consegui entrar com mais cores no guardarroupa da Ludmilla, que antes ela ficava muito mais nos tons escuros. Agora ela ta se permitindo usar mais cores. Aposto em pink, laranja, amarelo. As cores vibrantes voltaram bem fortes. Ta tudo muito colorido. Essa mistura mesmo de cores, cores bem contrastantes.

moca-criada-ludmilla-06

moca-criada-ludmilla-08

Falamos sempre de usar a moda a nosso favor, para valorizar o que temos de melhor e disfarçar aquilo que não gostamos tanto. Com base nisso, que estratégias você utiliza em suas clientes que também podem ser adotadas pelas leitoras do Moça Criada?
Acho que o melhor é entender o próprio corpo, independente da pessoa seguir tendência. Na moda não é tudo que é pra todo mundo, nem tudo funciona em todo mundo. Independente de tamanho, não é isso. É sobre a pessoa se sentir bem mesmo. Uma pessoa que é mais romântica e delicada com look mais leve, não adianta colocar com roupa de couro toda a vácuo porque ela não vai se sentir bem. E se a pessoa não se sente bem, não vai segurar o look. A Ludmilla não usa bordados. Em eventos que prioriza o longo, a gente prioriza recortes, assimétricos, fendas, vazados. Esse é o caminho de um look sofisticado pra ela. Pessoalmente ela não gosta de renda, vestido todo bordado. Dei esse exemplo pra mostrar que a gente tem que usar o que gosta e muitas vezes sair da zona de conforto. Quando você tem stylist, profissional que costuma mostrar coisas novas o tempo inteiro, pode ser que na hora que experimente eu mesmo concorde que não dá pra você, mas quero entender por que não dá. Às vezes a pessoa cisma com uma peça sem nem experimentar; na hora de fazer compras passa longe, nem pega na arara. A mulher que tem coxa grossa e quadril, usa vestido em ‘A’, ele esconde. Se tem parte que não goste, tem que disfarçar. Não vai colocar brilho, bordado, pra chamar atenção. Vai naturalizar ali pra mostrar a parte que você gosta. Tem que entender seu corpo, o que gosta e não gosta, e valorizar o que tem de melhor.

moca-criada-rodrigo-polack

Você pode acompanhar Rodrigo Polack em seu perfil no Instagram, onde ele mostra seu cotidiano e os looks que costuma preparar para seus clientes. Mas no ano que vem o stylist estará também nas telinhas! É que Polack e Chris Flores vão apresentar o programa ‘5 Looks’, no Discovery Home and Health, propondo cinco looks para mulheres comuns, mas superpoderosas e bem sucedidas no que fazem. “Tem cantora, juíza. Só que o estilo delas no trabalho não condiz com a posição que elas estão. Esse programa é meio que consultoria diária. A cada episódio tem uma participante diferente e é uma consultoria que dou pra elas”, antecipou.

As fotos foram retiradas do Instagram de Polack. Encontre mais em #LudmillaByPolack ou #StyledByPolack.

Compartilhe com as amigas
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>